05/08/2016 às 00h00min - Atualizada em 05/08/2016 às 00h00min

Professor da Rede estadual é um dos vencedores do Prêmio Educador Nota 10

O professor venceu com o projeto “Filtrando as lágrimas do Rio Doce”, que fala sobre a contaminação do Rio Doce com o rompimento da barragem de Mariana, em Minas Gerais.

Redação - r.soares@ibatibaonline.com.br

Reprodução: Sedu

O professor de Ciências e Química Wemerson da Silva Nogueira, da Escola Antônio dos Santos Neves, localizada em Boa Esperança, foi um dos dez vencedores do Prêmio Educador Nota 10, realizado pela Fundação Victor Civita. O professor venceu com o projeto “Filtrando as lágrimas do Rio Doce”, que fala sobre a contaminação do Rio Doce com o rompimento da barragem de Mariana, em Minas Gerais.

Essa é a segunda vez que Wemerson se inscreve no projeto. “Eu escolhi um tema que pudesse causar impacto na banca examinadora. Aproveitei o fato do rompimento da barragem que afetou nosso Estado e a contaminação do Rio Doce, para levar para dentro da sala de aula, visando a melhoria da aprendizagem da tabela periódica”, explicou Wemerson.

Os vencedores receberam R$ 15 mil, uma assinatura do site Nova Escola Clube, com vigência de um ano, e divulgação dos trabalhos.

“Foi uma oportunidade de preparar meus alunos para pesquisas científicas. Foi feito um planejamento, que foi da aula de campo até a coleta da água do Rio Doce e da lama”, contou o professor.

Para realizar as pesquisas, o professor fez parceria com a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e empresas de tratamento de água, para que os estudantes pudessem entender como funciona as análises de laboratório. Ao todo foram 40 dias de análise.

O objetivo de desenvolver o projeto foi obter melhorias no aprendizado da tabela periódica e outros componentes dos conteúdos ensinados nas aulas de Ciências, para os alunos do Ensino Fundamental e Química, para os alunos do Ensino Médio. “Ao mesmo tempo, queríamos encontrar uma solução imediata para ajudar a comunidade de Ribeirinhas, que vivem próximo a margem do Rio Doce”, disse Wemerson.

Para isso, o professor, junto com os estudantes criou um filtro chamado filtro de Retenção de Minérios, constituído a base de componentes do meio ambiente, galão de agua mineral, areia e seixos.

“A água que passa por esse filtro fica potável para o uso doméstico, que era nosso objetivo. Assim, as pessoas que moram perto do rio podem usar essa água para suas tarefas. Foi maravilhoso esse trabalho, pois além de tudo, consegui atribui uma grande elevação no aprendizado dos meus alunos”, falou Wemerson.

Em outubro, o professor vai para São Paulo receber a premiação e defender o projeto, que pode concorrer ao Prêmio Educador do Ano.

Prêmio Educador Nota 10

Criado em 1998, o Prêmio Educador Nota 10 reconhece professores da Educação Infantil e do Ensino Fundamental e também gestores escolares de todo o país. Aproximadamente 3.000 educadores, professores, gestores escolares e coordenadores pedagógicos, de diversos segmentos de ensino, inscrevem seu trabalho a cada edição do Prêmio em diferentes áreas de conhecimento.

Uma comissão selecionadora, composta por profissionais da Educação, especialistas nas diversas disciplinas, analisa todos os trabalhos recebidos e, entre eles, são escolhidos os 50 finalistas e entre os finalistas são escolhidos os dez Educadores Nota 10. Nessas 18 edições, foram reconhecidos 191 educadores, entre professores e gestores, e entregamos aproximadamente 2,4 milhões de reais em prêmios.

Os trabalhos premiados são ideias simples e corajosas que mostram a importância da aprendizagem de crianças e jovens e a tarefa de mantê-los numa boa escola, trabalho esse indispensável para a transformação deste país numa nação melhor e mais justa.

*Texto: Soraia Camata Canal - Sedu

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »