22/12/2018 às 17h21min - Atualizada em 22/12/2018 às 17h21min

Escola Viva: modelo capixaba de educação integral serve de exemplo para o Brasil

"O Espírito Santo serve de exemplo para o País”, disse o ministro da Educação Rossieli Soares, durante a inauguração de uma unidade do programa Escola Viva, o Centro Estadual de Ensino Fundamental e Médio em Tempo Integral Prof. José Leão Nunes, em Cariacica. A escola foi inaugurada, na tarde desta terça-feira (18).

"O Ensino Médio está falido, mas temos também bons resultados. O Espírito Santo conseguiu mostrar para o Brasil que o Ensino Médio tem jeito. Aqui é um caso que deve ser reconhecido por todo Brasil. São experiências como a Escola Viva que o Brasil precisa se organizar para implantar em todos os estados. A gente tem que pegar boas experiências. O caminho para um Brasil melhor é o da educação em tempo integral", destacou o ministro Rossieli Soares.

O governador Paulo Hartung destacou que o Governo está empenhado na implementação de políticas públicas estruturantes para avançar na educação básica do Estado. “Temos três projetos estruturantes na educação capixaba. Um deles é esse com educação integral em tempo integral em que demos o nome carinhoso de Escola Viva. O segundo é o Jovem de Futuro que é muito importante. E o terceiro projeto, o Pacto pela Aprendizagem no Espírito Santo, em que buscamos a experiência do Ceará, que cria o regime de colaboração entre Estado e municípios para melhoramos a educação infantil. Estamos fazendo um movimento robusto para melhorar a educação básica em nosso Estado”, cravou.

Esse é o primeiro ano da Prof. José Leão Nunes com o programa Escola Viva. A escola atende estudantes do 7º ao 9º ano do Ensino Fundamental e Ensino Médio, do bairro Vale Esperança e adjacências, no município de Cariacica, com capacidade máxima para receber 600 estudantes em tempo integral.

A nova unidade é composta por 16 salas de aula; sala de professores, biblioteca; sala de artes, dois laboratórios de informática; laboratório de Física/Química; laboratório de Biologia/Matemática; auditório; sala de recursos, vestiários, sala de rádio, quadra poliesportiva coberta, entre outros ambientes. As obras foram realizadas pelo Instituto de Obras Públicas do Espírito Santo (Iopes) com investimento de mais de R$ 12 milhões.

"Faremos de tudo para honrar com bons resultados essa bela escola", comemorou o diretor Felipe Cunha Chrisostomo.

A estudante Hellen Paranhos falou sobre a implantação do programa Escola Viva na unidade escolar. "Eu estudo aqui há dois anos e vivenciei a escola em tempo parcial e integral. A Escola Viva mudou a minha vida, pois antes eu não pensava no meu projeto de vida,  no meu futuro e no que eu posso fazer daqui para frente".

Roseane Ferreira, que é mãe do estudante Lucas que estuda na unidade, também falou sobre a experiência do filho na escola. “O Lucas adora as aulas e interage muito bem com os estudantes e professores. Para minha surpresa a escola o acolhei de forma muito especial. Hoje ele está com 16 anos, passou direto e eu estou muito feliz”.

O professor Ramon Queiroz se emocionou ao falar do Escola Viva. “Foi no programa em que me encontrei como profissional. A educação é um ato de amor. Estamos plantando boas sementes e vamos colher bons frutos. Ganhei um presente em participar desse programa desafiador", contou.

Em Cariacica, já são quatro unidades do programa: a Escola Viva Presidente Castelo Branco e a Escola Viva Itagiba Escobar que atendem, exclusivamente, estudantes do Ensino Fundamental. A Escola Viva Profª Maria Penedo, que atende estudantes do Ensino Médio, e a Escola Viva Prof. José Leão Nunes. No município, 2.290 vagas em tempo integral são ofertadas para estudantes da região.

“A Escola Viva já está presente em um terço dos municípios capixabas. É diferente para o cidadão ver a escola funcionando. Os jovens estão achando o caminho e se identificando com a escola. Além disso, conquistamos resultados extraordinários, o que nos anima e nos indica que estamos na direção certa", destacou o secretário de Estado da Educação, Haroldo Rocha.

Escola Viva

O programa Escola Viva já está ofertando 20 mil vagas para estudantes de várias regiões do Espírito Santo. São unidades 32 Escolas Vivas, em 23 municípios do Estado. Para 2019, mais quatro serão contempladas. Ao todo, serão mais de 21 mil vagas nas 36 unidades em tempo integral, em 27 municípios do Estado. 

A Escola Viva nasceu para ser uma escola de educação integral, com experiências educacionais amplas e profundas. Formar jovens capazes de realizar sonhos, competentes no que fazem e solidários com o mundo em que vivem. É com esses objetivos que o programa Escola Viva foi implantado e está sendo ampliado na rede pública estadual.

O Programa de Escolas Estaduais de Ensino Médio em Turno Único, denominado “Escola Viva”, foi instituído pela Lei Complementar Nº 799, que prevê a implantação de 30 escolas em turno único até 2018.

A Escola Viva possui um conjunto de inovações: acolhimento aos estudantes, às equipes escolares e às famílias; avaliação diagnóstica/nivelamento; disciplinas eletivas; salas temáticas; ênfase práticas em laboratórios; tecnologia de gestão educacional; tutoria; aulas de projeto de vida; aulas de práticas e vivências em protagonismo; aula de estudo orientado; e aprofundamento de estudo (preparação acadêmica/mundo do trabalho).

Além da estrutura diferenciada e do currículo inovador, na Escola Viva os profissionais possuem dedicação integral e o tempo que o aluno permanece na escola é de 9 horas e 30 minutos. A carga horária é das 7h30 às 17 horas, sendo 1h20 minutos para o almoço e dois intervalos de 20 minutos para o lanche, ofertados dentro da escola.

[gallery size="full" jnewsslider="true" jnewsslider_zoom="true" ids="4138,4140,4142,4139,4143"]
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://ibatibaonline.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp